Mundo

Trump se encontra com Kim Jong-un e é o 1º presidente dos EUA a pisar em solo norte-coreano

Líderes tiveram reunião a portas fechadas e americano anunciou que Washington e Pyongyang terão novas conversas sobre o processo de desnuclearização. O Papa Francisco elogiou o encontro entre os presidentes.

O presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, se encontraram neste domingo (30) na Zona Desmilitarizada, que fica entre as duas Coreias. Trump estava na Coreia do Sul desde sábado (29), após o encerramento do G20.

Após um simbólico aperto de mãos, Trump cruzou a fronteira e se tornou o primeiro presidente dos EUA a pisar em solo norte-coreano.

Ao cumprimentarem-se, os presidente trocaram breves palavras: “Fico feliz em vê-lo de novo. Jamais esperava vê-lo neste lugar”, disse Kim. “Trata-se de um momento histórico que pretende pôr fim ao conflito na península”, afirmou o líder norte-coreano a jornalistas.

“Eu fiquei orgulhoso de passar por cima da linha [que divide os dois países]”, disse Trump a Kim, depois que os líderes retornaram ao lado sul-coreano. “É um grande dia para o mundo.”

Trump, que deixou a Coreia do Sul neste domingo (30) rumo a Washington, voltou a elogiar o encontro com Kim no Twitter.

“Deixando a Coreia do Sul depois de um encontro maravilhoso com o presidente Kim Jong Un. Estive no solo da Coreia do Norte, uma importante declaração para todos e uma grande honra!” escreveu o presidente americano.

Retomada das negociações
O presidente americano disse que “estão acontecendo coisas muito positivas” na península por causa do aproximação entre Washington e Pyongyang, iniciada no ano passado.

Trump também anunciou que os dois países começarão a realizar reuniões de trabalho “nas próximas duas ou três semanas” sobre o processo de desnuclearização.

“O que vai acontecer é que nas próximas duas ou três semanas as equipes vão começar a trabalhar”, disse Trump após terminar seu encontro a portas fechadas com Kim na fronteira intercoreana, que durou cerca de 50 minutos.
O convite para o encontro foi feito por Trump no Twitter na sexta-feira (28). Ele se dispôs a um “aperto de mão” e a “dizer um alô” a Kim Jong-un. O convite foi aceito por Pyongyang poucas horas antes de os dois líderes se reunirem.

Recentemente, Trump e Kim trocaram cartas e voltaram a se elogiar, após um encontro em que não chegaram a nenhum acordo em fevereiro, no Vietnã.

Em 11 de junho, o presidente americano disse ter recebido uma “linda carta” de Kim, e no dia 23 foi a vez de o norte-coreano afirmar que estava satisfeito com o “excelente” conteúdo de uma carta escrita por Trump. Nenhum dos dois documentos foi divulgado à imprensa.

Este é o terceiro encontro entre Donald Trump e Kim Jong-un, e ocorre após o desentendimento deste ano em Hanói e a primeira reunião entre os dois, realizada em Singapura em junho de 2018.

Naquela primeira cúpula, o líder da Coreia do Norte se comprometeu com o desmonte do seu programa nuclear e assinou, ao lado de Trump, uma declaração de quatro itens – que não estabelecia metas ou detalhes de como o compromisso seria colocado em prática para que o abandono da produção fosse feito de forma completa, irreversível e verificável, como pediam os Estados Unidos.

Desde então, o país abandonou seus testes de mísseis e fechou instalações nucleares, mas, segundo especialistas, ainda mantém atividades de seu programa.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock detectado

Por favor, considere nos apoiar, desativando o seu bloqueador de anúncios