Policial

Idosa é arrastada por carro no DF após negar produto de graça; motorista diz não ter “percebido”

Marina Izidoro de Morais tem 63 anos e trabalha vendendo balões na cidade. Ela foi levada ao hospital com diversos hematomas. William Wesley Lelis Vieira, o motorista da Mercedes-Benz, confirmou, na delegacia, dirigir o veículo que arrastou a idosa

Uma vendedora de balões, de 63 anos, foi arrastada por uma Mercedes-Benz, no Distrito Federal, após negar o produto de graça a um cliente. O carro, onde estavam o motorista e uma passageira, parou ao lado de Marina e o motorista pediu um balão. A vítima disse ao G1 que respondeu ao cliente que não podia abrir mão de uma venda, no que ele respondeu que só tinha dinheiro para uma unidade. “Comecei a separar o balão e uma mulher que estava no banco do passageiro puxou o produto. Nesse momento, o motorista fechou o vidro e arrancou com o veículo”, explicou a vendedora. O caso aconteceu no último sábado, 15.

Com os balões amarrados ao pulso, Marina foi arrastada por 100 metros e somente parou após as bexigas se soltarem do braço. Segundo informações do G1, uma mulher, que não quis ser identificada, presenciou a agressão e contou que o carro fugiu em alta velocidade após Marina ser solta. “Ele foi em direção à avenida comercial e furou um sinal vermelho”. A vendedora foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para o Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Marina ficou com muitos hematomas pelo corpo. O caso foi registrado como lesão corporal na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul).

Em depoimento prestado nessa segunda-feira, 17, o motorista William Wesley Lelis Vieira admitiu que dirigia o veículo, avaliado em R$ 220 mil, mas “não percebeu que estava arrastando a idosa”. O delegado Paulo Henrique de Almeida, que investiga o crime, contou ao G1 que William afirmou ter fechado o vidro porque “só tinha R$ 25” e a mulher no banco do carona havia pedido três balões, que custariam R$ 30.

Ainda segundo o delegado, William havia dito que “fez uma brincadeira” ao fechar o vidro e arrancar com o carro sem pagar pelos balões. O motorista disse que abriu o vidro e soltou os balões após sentir “o carro muito pesado”. Ele tem 34 anos e foi depor na delegacia, junto à mulher, de 28 anos, que estava no carona. Os dois são amigos e saíam de uma festa quando resolveram comprar os balões. A mulher, que não teve nome divulgado, também afirmou ser uma “brincadeira” e que nenhum dos dois havia percebido a vendedora sendo arrastada.

Marina machucou rosto, braços e pernas. O delegado informou que o motorista pode ser enquadrado em três tipos de crimes: lesão corporal de trânsito, lesão corporal com a intenção de praticar um crime, tentativa de homicídio. Para Almeida, ainda é cedo para saber em qual crime William se encaixa. A mulher que estava no carro junto à William responderia como co-autora. A Mercedes-Benz foi levada para perícia na Delegacia de Polícia Especializada (DPE) e os dois foram liberados após o depoimento.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close