Brasil

É absurdo encontrar médicos cubanos ociosos enquanto tem gente prescisando, afirma Beto Almeida

Dois mil médicos cubanos continuam no país e sobrevivem na informalidade

As vagas deixadas por esses profissionais e abandonadas por médicos brasileiros deixam cidades do interior do país, a exemplo do que acontece no Ceará, em carência de assistência.

Enquanto isso, aproximadamente 2 mil médicos cubanos estão nas ruas excercendo outras atividades, como de motorista, ambulante, faxineiro, pedreiro, dentre outras. 

Luzenor de Oliveira destaca a entrevista que a presidente do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems), Sayonara Cidade, deu ao Jornal Alerta Geral, onde ela falou sobre a possibilidade de articulação por parte dos secretários de Saúde dos Municípios para reabertura das inscrições desses médicos cubanos.

Para Beto Almeida, é contraditório por parte do Governo Federal o descaso com esses profissionais, uma vez que foi dito que haveria todo o suporte necessário para eles.

“É um absurdo você encontrar um profissional desse [oscioso], enquanto nós temos em todo o Brasil, [gente] precisando desses médicos e é essa burocracia infernal atrapalhando a vida do brasileiro.”

Disse Beto Almeida.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close