Ceará

Criminosos explodem bomba em estação de metrô e ateiam fogo em agência bancária no 16º dia de ataques no Ceará

Estado vive onda de violência com 209 ataques confirmados desde o dia 2 de janeiro. Ao todo, 383 pessoas foram detidas por envolvimento nas ações.

Criminosos explodiram uma bomba em uma estação do Metrô de Fortaleza, incendiaram uma agência bancária e tentaram derrubar uma ponte na capital entre a noite desta quarta-feira (16) e a madrugada desta quinta (17). A onda de violência no Ceará chegou ao 16º dia seguido com 209 ataques confirmados.
Desde o dia 2 de janeiro, criminosos atacaram ônibus, carros, prédios públicos, prefeituras e comércios em 46 dos 184 municípios cearenses. Os ataques começaram em Fortaleza, foram para a Região Metropolitana e também se espalharam por diversas cidades do interior do estado. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, 383 pessoas foram capturadas por envolvimento nos crimes.
O Ministério da Justiça confirmou que enviou um reforço de 355 agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para o estado. O governo do estado comunicou que convocou policiais militares da reserva para voltar a atuar e reforçar o combate aos crimes. Tropas da Força Nacional também seguem reforçando as ações no estado. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), classificou as ações criminosas como “atos de terrorismo”.
A agência do Banco do Brasil, localizada na rodovia BR-116, no Bairro Aerolândia, foi atacada por volta de 1h desta quinta-feira. Criminosos atiraram diversas vezes contra o prédio do banco e invadiram o local. Eles incendiaram a agência e depois fugiram.
De acordo com a PRF, os suspeitos usaram combustível para atear fogo na agência. Caixas eletrônicos e outros objetos foram aingidos. O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu impedir que a agência fosse totalmente incendiada. O banco foi isolado.
Ainda durante a madrugada, por volta das 3h30, criminosos explodiram uma bomba em um poste da estação do Metrô de Fortaleza do Bairro Couto Fernandes. Devido à ação, o metrô não realizou viagens durante o início da manhã e a estação permaneceu fechada.
Localizada na Avenida José Bastos, a estação Couto Fernandes faz parte da linha Sul do Metrô de Fortaleza e atende o público dos bairros Bela Vista, Pici e adjacências. Equipes da Força Nacional e Polícia Militar foram acionadas e reforçaram a segurança do equipamento após o ataque.

Já durante a noite, criminosos usaram artefatos explosivos para tentar derrubar uma ponte na Rua Chile, no Bairro Bela Vista. O ataque danificiou parte da estrutura da ponte e danificou um cano de esgoto que passava pelo local. O barulho da explosão foi ouvido por moradores de outros bairros da região.

Entenda o que está acontecendo no Ceará

O governo criou a secretaria de Administração Penitenciária e iniciou uma série de ações para combater o crime dentro dos presídios. O novo secretário, Mauro Albuquerque, coordenou a apreensão de celulares, drogas e armas em celas. Também disse que não reconhecia facções e que o estado iria parar de dividir presos conforme a filiação a grupos criminosos.
Criminosos começaram a atacar ônibus e prédios públicos e privados. As ações começaram na Região Metropolitana e se espalharam pelo interior.
O governo pediu apoio da Força Nacional. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o envio de tropas; 406 agentes da Força Nacional reforçam a segurança no estado.
A população de Fortaleza e da Região Metropolitana sofre com interrupções no transporte público, com a falta de coleta de lixo e com o fechamento do comércio.
A onda de violência afastou turistas e fez a ocupação hoteleira no estado cair.
35 membros de facções criminosas foram transferidos do Ceará para presídios federais desde o início dos ataques, segundo o último balanço do Ministério da Justiça.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close