Ceará

Ceará tem quinto dia seguido de incêndios a veículos e prédios públicos; frota de ônibus é reduzida em Fortaleza

Desde sexta, são pelo menos 28 ataques no estado. Secretário da Administração Penitenciária e chefe da PM pede que equipes de segurança fiquem em alerta.

Prédios públicos, caminhões, ônibus e carros de concessionárias foram alvos de ataques em Fortaleza e no interior do Estado desde a sexta-feira (20). Foram pelo menos 17 ataques somente nesta segunda-feira (23) e dois nesta terça-feira (24). Ao todo, já foram pelo menos 28 ataques foram registrados no estado em cinco dias. Dez pessoas foram capturadas até a noite de segunda.

Os alvos mais recentes, entre a noite de segunda e esta terça-feira, foram:

  • a 15ª Unidade do Juizado Especial Cível e Criminal, no Bairro Vila Velha, na capital, onde uma bomba caseira foi detonada;
  • dois caminhões queimados em Maracanaú, na Grande Fortaleza
  • um caminhão incendiado no pátio da sub-prefeitura de Pacatuba, na Grande Fortaleza
  • cinco veículos estacionados na garagem da prefeitura do município de Jucás, a 407 quilômetros de distância da capital, também atingidos pelo fogo.
  • um caminhão sobre a ponte do Rio Ceará, que liga Fortaleza a Caucaia
  • dois ônibus estacionados em um posto de gasolina, no Bairro Palestina, na cidade de Canindé.

Pelo menos três ônibus do transporte coletivo, dois carros da empresa Enel Distribuição Ceará e um carro da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) também foram incendiados em Fortaleza nesta segunda-feira (23). Testemunhas afirmam que homens colocaram fogo nos veículos usando gasolina. As ações começaram por volta de 12h.

(Erramos: o G1 errou ao informar inicialmente que o ataque em uma escola do Bairro Cidade 2000 teria relação com a série de ações criminosas no Ceará. Na verdade, segundo o Governo do Estado, os dois episódios não estão relacionados. A informação foi corrigida às 20h43.)

Caminhões, carros particulares, veículos de transporte coletivo, uma torre de telefonia e uma loja revendedora de veículos estão entre os alvos atacados. Pelo menos duas pessoas ficaram feridas nas ações. Um motorista ficou ferido na perna em um ataque a uma topique no Bairro Sítio São João, em Fortaleza, e o motorista de um caminhão teve uma queimadura no braço quando o veiculo onde ele estava foi incendiado em Maracanaú.

Frota reduzida

Com os ataques, a frota de ônibus de Fortaleza e Região Metropolitana foi reduzida. Nesta terça-feira (24), somente 70% do total habitual de coletivos vai circular. Conforme o Sindicato Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), todas as linhas estarão disponíveis, contudo, algumas devem mudar a rota.

O Governo do Estado anunciou que os ônibus serão acompanhados por agentes da Polícia Militar.

A Secretaria da Segurança Pública do Ceará (SSPDS) informou que, ao todo, sete suspeitos foram capturados por envolvimento nas ações criminosas. Outras cinco pessoas teriam sido identificadas, segundo a secretaria. Os crimes se assemelham à série de ataques coordenados por membros de facção ocorridos em janeiro deste ano no estado. A SSPDS considera que os ataques começaram no sábado (20), mas na sexta-feira (20) houve um caminhão roubado em Quixadá, que foi incendiado em Quixeramobim – caso que ainda não está esclarecido.

Policiais militares de férias vão ser convocados para retornar às atividades, e servidores que estavam em cursos tiveram as aulas suspensas para reforçar o policiamento ostensivo, informou a secretaria.

Sequência de ataques no Ceará

  • Sexta-feira (20): Caminhão roubado em Quixadá e incendiado em Quixeramobim;
  • Sábado (21): ataque contra torre de telefonia em Messejana; um caminhão de frios incendiado na Avenida das Adenanteras, no Bairro Cidade 2.000;
  • Domingo (22): ataques a três caminhões na BR-116 no Bairro Ancuri; posto de combustível incendiado em Quixadá; veículo carregado de papel higiênico em Maracanaú também é alvo; além de um ataque incendiário a um caminhão no Bairro Cidade 2000; ; e tentativa de ataque a uma loja de veículo na Avenida Godofredo Maciel;um carro da Enel atacado em Quixadá
  • Segunda (23): ônibus incendiados nos bairros Ancuri, Aracapé e Canindezinho (empresa Fretcar); ataque a dois carros da Enel (nos bairros Jangurussu e Conjunto Esperança); uma topique incendiada no Bairro Sítio São João; um ônibus escolar atacado na cidade de Paracuru; uma topique incendiada no Bairro Vila Velha; um carro da Cagece queimado; um carro da empresa Mob atacado; um micro-ônibus incendiado no Parque São José; um ônibus da empresa Vitória queimado na ponte da Barra do Ceará; ônibus de banda de forró na mesma área; um juizado especial foi atacado e teve um princípio de incêndio no Vila Velha; o estacionamento da prefeitura de Jucás foi incendiado e quatro veículos foram atingidos pelas chamas, entre eles, dois ônibus escolares; dois caminhões que estavam estacionados em uma rua no Alto Alegre II, em Maracanaú, foram queimados e um idoso ficou ferido; e um caminhão de coleta de lixo foi incendiado por três suspeitos em Pacatuba.
  • Terça-feira (24): um caminhão de carga foi interceptado e incendiado sobre a ponte do Rio Ceará, que liga Fortaleza a Caucaia, por volta de 1h; e dois ônibus estacionados em um posto de gasolina, no Bairro Palestina, na cidade de Canindé.

Segundo uma fonte do sistema penitenciário informou ao G1, a hipótese para a sequência de ataques é que agentes de segurança detectaram e impediram um plano de fuga em massa de um presídio em Aquiraz, na Grande Fortaleza. O projeto da fuga foi achado em um papel na boca de um detento.

Ainda conforme a fonte, os internos que iriam fugir passaram por um regime disciplinar mais rigoroso, com vistorias nas celas mais frequentes e a permanência em áreas isoladas da detenção. A punição dos presos levou aos ataque do lado de fora das unidades prisionais.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close